sábado, 22 de agosto de 2009

Domingos José Martins


Domingos José Martins nasceu no sítio Caxangá, nas proximidades de Itapemirim, no Estado do Espírito Santo. Hoje esse local pertence ao município de Marataízes.
Filho do capitão de milícias Joaquim José Martins e D. Joana Luíza de Santa Clara Martins, prima do marido e nascida na Bahia.
O capitão comandava o "Quartel", quase em frente à Ilha das Andorinhas, ao sul de Marataízes, ali localizado para fiscalizar e impedir o desembarque clandestino de africanos. Depois de dar baixa da carreira militar, passou a exercer atividade comercial em casa assobradada na antiga rua das Flores.
Os primeiros anos

Iniciou os estudos primários na capital do estado do Espírito Santo, completando a sua formação, posteriormente, em Portugal. Seguiu para Londres, onde se empregou na firma portuguesa Dourado Dias & Carvalho, chegando a condição de sócio do mesmo estabelecimento comercial.
O revoluncionário

Na Revolução de 1817, emergiu de maneira brilhante e singular. Pelas próprias circunstâncias de sua vida, era homem dono de grande capacidade de resolução. Os que na época trataram com ele , pintam-no amigo do mandar e do gastar, ambicioso e afável. Maçom, fizera em Londres amizades nos ambientes liberais e um de seus amigos mais próximos foi o general Miranda, que lutara na guerra da Independência dos Estados Unidos, vindo da França com as tropas de Dumouriez.
Miranda participara também de uma tentativa de emancipação da Colômbia em 1805, sufocada pelos espanhóis, e seu sonho somente se concretizou com Simon Bolivar, ao mesmo tempo em que ele morria no cárcere, na Espanha.
Inegavelmente, Martins foi um observador inteligente que percebeu a evolução das ideias liberais na Europa e bem compreendeu as aspirações particulares latino-americanas. Pernambuco deveria ser para ele um capítulo glorioso de todo esse grande processo.
O martírio e glória
Derrotado, foi preso e enviado à Bahia, sendo fuzilado em 12 de Junho de 1817, no Campo da Pólvora-BA, hoje conhecido como Campo dos Mártires.
Domingos José Martins foi homenageado pela Polícia Civil do Estado do Espírito Santo que o escolheu como patrono.
Fonte: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Um comentário:

  1. O Mel eu não consigo ver nada as letras estar ruim

    ResponderExcluir